18 setembro 2017

Eu te ordeno, levanta-te!

“O sofrimento é consagrado a Deus pela fé, não uma fé no sofrimento, mas uma fé em Deus. Aceitar o sofrimento estoicamente, receber o fardo de uma necessidade fatal, inevitável e incompreensível, e leva-lo com coragem, não é consagração alguma. (...) A Cruz de Cristo não diz nada do poder do sofrimento ou da morte. Ela só fala do poder Daquele que venceu o sofrimento e a morte pela ressurreição do túmulo. ”
(Agir, 6ªEd. 1976), pág. 83




____________________
I command you to rise!


 “Suffering is consecrated to God by faith-not by faith in suffering, but by faith in God. To accept suffering stoically, to receive the burden of fatal, unavoidable, and incomprehensible necessity and to bear it strongly, is no consecration. (...)The Cross of Christ says nothing of the power of suffering or of death. It speaks only of the power of Him Who overcame both suffering and death by rising from the grave.”
No man is an island,
 (Harvest Book, 1995), p. 101.


____________________

Yo te lo ordeno, ¡levántate!


 “El sufrimiento está consagrado a Dios por la fe -no la fe en el sufrimiento, sino por la fe en Dios-. Aceptar el sufrimiento estoicamente, recibir la aflicción como una necesidad fatal, inevitable e incomprensible y soportarla con fortaleza no significa consagración. (...)La Cruz de Cristo no dice nada del poder del sufrimiento o la muerte. No habla más que del poder de Aquel que venció el sufrimiento y la muerte al levantarse de la tumba.”
Los hombres no son islas,
Traducción SAFTM - Brasil

11 setembro 2017

Foi à montanha para rezar

S. João da Cruz e S. Teresa nos deixaram estudos minuciosos dos caminhos da oração contemplativa. Mais do que qualquer outro místico, eles nos descreveram os pormenores práticos de nossa cooperação com o Espírito de Deus no grau de oração que aqui nos interessa. Ambos acham que na Noite dos sentidos e na oraçã0 de Quietude, as faculdades da alma são de algum modo passivas. Mas concordam também em que elas ainda são livres de agir, podendo ajudar ou estorvar a ação de Deus. Pensam igualmente que para ajudar a obra da graça, as faculdades devem pôr-se em uma atividade muito simplificada, que na ora da oração passiva, consiste em não fazer outro esforço senão conservar-nos passivos. Fora do tempo da oração, podem fazer mais. Mas é, de qualquer modo, mortificante manter a alma num estado de atenta receptividade durante os primeiros passos da oração passiva quando a graça age quase sem se fazer sentir e a imaginação é solicitada por muitas distrações.
(Itatiaia, 1999), pág. 161


 _______________________

He went out to the mountain to pray
 
‘Saint John of the Cross and Saint Teresa of Avila have both left us detailed studies of the ways of contemplative prayer, and better than any other mystics they have described the practical details of our cooperation with the Spirit of God in the degree of prayer which most interests us here.  They both agree that in the Night of Sense, and more still in the Prayer of Quiet, the faculties of the soul are in some measure passive.  But they also agree that these faculties are still free to act of their own accord and that consequently they are capable of either helping of hindering the work of God.  And they both agree that in order to help the action of grace our faculties must engage in some very simplified activity which, at the actual moment of passive prayer, consists in nothing more than the effort to keep themselves passive.  Outside the time of prayer, they must do more.  But in any event, it takes mortification to maintain the soul in a state of alert receptivity during the first stages of passive prayer when grace acts almost unnoticeably on the soul and when the imagination is drawn away by many distractions.’
Ascent to truth,
(citado em https://thevalueofsparrows.com/2014/12/20/intelligence-in-the-prayer-of-quiet-by-thomas-merton-2/2/)


______________________


Subió a la montaña para rezar 
San Juan de la Cruz y Santa Teresa de Ávila nos legaron unos estudios minuciosos sobre los caminos de la oración contemplativa y, mejor que cualquier otro místico, describieron los detalles prácticos de nuestra cooperación con el Espíritu de Dios en el grado de oración que aquí más nos interesa.   Ambos coinciden en que, en la Noche de los Sentidos, y aún más en la Oración de Quietud, las facultades del alma se encuentran, hasta cierto punto, pasivas.   Pero también coinciden en que dichas facultades permanecen libres para actuar por su propia voluntad y, por consiguiente, son capaces o de auxiliar o de estorbar la obra de Dios.   Coinciden, asimismo, en que, para auxiliar la acción de la gracia, nuestras facultades deben de emprender alguna actividad muy simplificada que, en el momento mismo de la oración pasiva, consiste en nada más que el esfuerzo en mantenerse pasivas.   A parte del tiempo de oración, deben de hacer más.   Pero sea como sea, se requiere de mortificación para mantener al alma en un estado de receptividad alerta durante las primeras etapas de la oración pasiva, cuando la gracia actúa casi imperceptiblemente sobre el alma y la imaginación se ve atraída por muchas distracciones.
Traducción de SAFTM - Brasil

04 setembro 2017

Exorcizando o demônio das nossas ilusões

“Deus não pode ser compreendido senão por ele mesmo. Se queremos compreendê-lo, só podemos fazê-lo, transformando-nos de certo modo nele, de maneira a conhecê-lo como ele se conhece. E Deus não se conhece a si mesmo por nenhuma representação de si. Seu Ser infinito é que é o conhecimento que Deus tem de si mesmo e nós não o conheceremos como ele se conhece enquanto não estivermos unidos ao que ele é. A fé é o primeiro passo em direção a essa transformação, porque é conhecimento que adere, na obscuridade, sem imagem nem representações, por meio de uma identificação amorosa ao Deus vivo.”
(Fisus, 1999), pág. 134

28 agosto 2017

Liberdade ou cegueira?

“Nós presumimos, com demasiada facilidade, que somos o nosso eu real, e que as nossas escolhas são as que pretendemos fazer quando é por impulsos psicológicos emanados de ideias exageradas sobre a nossa própria importância que os nossos atos de livre escolha são largamente ditados pelo lado falso do nosso eu.”
(Agir, 6ªEd. 1976), pág. 43


______________________
Freedom or blindness?
“We too easily assume that we are our real selves, and that our choices are really the ones we want to make when, in fact, our acts of free choice (though moral imputable, no doubt) are largely dictated by psychological compulsions, flowing from our inordinate ideas of our own importance.”
No man is an island,
(Harvest Book, 1995), p. 46
 

_____________________
¿Libertad o ceguera?
“Con demasiada facilidad imaginamos que somos lo que somos, y que nuestras elecciones son en verdad las que deseamos, cuando en verdad nuestros actos de libre albedrío son (si bien moralmente imputables, no hay duda) dictados en gran parte por compulsiones psicológicas que provienen de nuestras ideas desordenadas, a las que damos importancia personal.”
Escritos esenciales,
(Ed. Sal Terrae, 2006, p.60)

21 agosto 2017

Faça-se em mim segundo a tua palavra

“22 de agosto [de 1949] – oitava da assunção.
(...) De qualquer maneira, me senti muito feliz hoje de manhã, ao celebrar a Missa da Oitava no altar de São Roberto – uma pequena capela lateral só para mim. A temperatura horrivelmente quente parou de súbito na véspera da festa de São Bernardo, mas este tipo de calor espinhento tende a fazer-se agudo quando a pessoa está descansando à sombra.
No dia de São Bernardo, fui sentar-me na colina que há por detrás da casa de Nally. Não queria entrar muito no bosque porque quanto mais tempo se passa caminhando menos tempo se tem para uma oração realmente profunda. Assim, fiquei a contemplar a grande curva da paisagem, aquela distante linha de colinas, cheia de tantas associações para mim, e a abadia, que repousa sobre o tapete dos campos como um relicário e contém tudo o que existe de mais precioso no mundo, o Corpo de Cristo e Sua Divindade, O Deus Vivo. (...)”
(Mérito, 1954), pág. 252



_____________________


Let it be to me according to your word

“August 22 [1949] – Octave of the assumption.

(...)Anyway, I was very happy saying the Mass of the octave day this morning at Saint Robert’s altar –with a little side chapel all to myself. The really hot weather stopped all of a sudden that evening before Saint Bernard’s day but prickly heat tends to be especially sharp when you are cooling off.
On Saint Bernard’s day-I sat up on the hill behind Nally’s, not wanting to walk far into the woods, because the more time you spend walking the less you have for really deep prayer. So, I looked at the great big sweep of country and that far line of hills that is steeped in spiritual associations for me, and at the abbey and the church sitting in the carpet of fields like a reliquary, and containing all that is most precious in the world, the Body of Christ, and His Divinity, the Living God. (...)”
The sign of Jonas,
 (Harvest Book, 1981), p.221 252


_________________________ 

Hágase en mí según tu palabra

“22 de agosto [de 1949] – Octava de la asunción.

(...) Sea como sea, me sentí muy feliz esta mañana al celebrar la Misa de la Octava en el altar de San Roberto –con una pequeña capilla lateral toda para mí-.El calor tremendo terminó súbitamente el día anterior a la fiesta de San Bernardo, pero el calor agobiante tiende a acentuarse cuando uno se está refrescando.
El día de San Bernardo, me senté en la colina detrás de lo de Nally -no quería ir muy adentro del bosque, pues, cuanto más tiempo se pasa caminando, menos tiempo se tiene para una oración realmente profunda. Así, me puse a mirar el amplio paisaje y la línea distante de colinas, llenos de tantas asociaciones espirituales para mí, y la abadía y la iglesia, que reposan sobre la alfombra de los campos como un relicario y contienen todo lo más precioso en el mundo: el Cuerpo de Cristo, y Su Divinidad, el Dios Vivo. (...)”
El signo de Jonás,
(Traducción SAFTM - Brasil)

14 agosto 2017

Se não vos tornardes como crianças, não entrareis no Reino dos Céus.

“A humildade é a única chave que dá acesso à fé, início da vida espiritual. Pois fé e humildade são inseparáveis. Na perfeita humildade desaparece todo egoísmo e a alma não vive mais para si nem em si mesma para Deus; na humildade a alma se perde de vista, mergulha em Deus e é Nele transformada.”
(Vozes, 1963), pág. 185




Unless you become like children, you will never enter the kingdom of heaven.

“Humility contains in itself the answer to all the great problems of the life of the soul. It is the only key to faith, with which spiritual life begins: for faith and humility are inseparable. In perfect humility all selfishness disappears and your soul no longer lives for itself or in itself for God: and it is lost and submerged in Him and transformed into Him.”
New seeds of contemplation,
(New Directions Books, 2007), p. 197


 A menos que os volváis y os hagáis como niños, no entraréis en el Reino del Cielo.

“La humildad contiene en sí misma la respuesta a todos los grandes problemas de la vida del alma. Es la única llave de la fe, con la cual empieza la vida espiritual; pues la fe y la humildad son inseparables. En la perfecta humildad desaparece todo egoísmo, y tu alma ya no vive para sí ni en sí, sino para Dios; y pierde y sumerge en Él y se transforma en Él.”
Nuevas semillas de contemplación 

(E.D.H.A.S.A., p. 49)

07 agosto 2017

Vem

“Não existem fórmulas simples e eficazes a não ser no Evangelho, onde as palavras não são do homem mas de Deus. E, apesar de toda a sua simplicidade, as palavras do Cristo, em sua transparência, as palavras de salvação, permanecem profundamente misteriosas, como tudo que procede de Deus. Assim, conquanto esteja bem claro que somos chamados à ‘perfeição’ - e sabemos consistir a perfeição em ‘observar os mandamentos (de Cristo), acima de tudo o ‘mandamento novo’ de nos amarmos uns aos outros como ele nos amou – cada um tem de se esforçar para alcançar a própria salvação, com temor e tremor, no mistério e, muitas vezes, atônito, na confusão da situação particular de sua vida. Realizando isso, cada um de nós aparece como um novo ‘caminho’, uma nova ‘santidade’ inteiramente individual e própria, porque cada um de nós tem sua vocação peculiar e deve reproduzir a semelhança ao Cristo de um modo que difere um tanto dos outros, desde que não existem duas pessoas iguais.”
(Herder, 1965), pág. 46

_______________
Follow me
“No simples and efficacious formulas exist except in the Gospel, where they are not the words of man but the words of God. And, with all their transparent simplicity, the words of Christ, the words of salvation, remain as deeply mysterious as everything else which proceeds from God. Thus, while it is quite clear that we are called to 'be perfect,' and while we know that perfection consists in 'keeping the commandments' (of Christ), above all his 'new commandment to love one another as he has loved us,' still each one has to work out his salvation in fear and trembling in the mystery and often bewildering confusion of his own individual life. In doing this, each one actually comes out with a new 'way', a new 'sanctity' which is all his own, because each one of us has a peculiar vocation to reproduce the likeness of Christ in a mode that is not quite the same as anybody else’s, since no two of us are quite alike.”
Life and Holiness
(Herder & Herder, 196e), p.17

Ven
"No existen fórmulas simples y eficaces, excepto en las Evangelios, donde las palabras ya no son de hombre, sino de Dios. Y, con toda su transparente sencillez, las palabras de Cristo, palabras de salvación, siguen siendo profundamente misteriosas, como todo lo que procede de Dios. Así, si bien está absolutamente claro que somos llamados a 'ser perfectos', y si bien sabemos que la perfección consiste en “guardar los mandamientos” (de Cristo), sobre todo su 'nuevo mandamiento de amarnos los unos a los otros como Él nos ha amado', con todo, cada uno tiene que labrarse su salvación en el temor, temblando en el misterio y en la desconcertante confusión de su propia vida individual. Haciéndolo así, todos salimos ganando un nuevo 'modo', una nueva 'santidad' que es privativa de cada uno, porque cada uno de nosotros tiene una vocación peculiar de reproducir la semejanza con Cristo de una manera que no es idéntica a la de cualquier otra persona, ya que nunca dos personas son del todo iguales”
Vida y santidad
(Herder Sal Terrae)



31 julho 2017

Noite dos sentidos

“Outro obstáculo. E talvez seja ele o mais comum. Trata-se da inércia espiritual, da confusão interior, da frieza, da falta de confiança. Pode ser esse o caso dos que, depois de haverem iniciado bem, experimentam o inevitável ‘tombo’ que surge quando a vida de meditação começa a tornar-se séria. Aquilo que no princípio parecia fácil e agradável, de repente mostra-se totalmente impossível. A mente não funciona. Não se consegue concentrar em coisa alguma. A imaginação e a s emoções vagueiam. Por vezes disparam. A esta altura talvez, no meio de uma oração cheia de aridez, desolação e repugnância, inconscientes fantasias podem apoderar-se de quem medita. Pode ser desagradáveis e mesmo assustadoras. Com mais frequência, nossa vida interior torna-se simplesmente um deserto destituído de qualquer interesse.”
(Agir, 1972), pág. 63

_______________

Night of the senses
“Another obstacle - and perhaps this one is more common- is spiritual inertia, inner confusion, coldness, lack of confidence. This may be the case of those who, after having made a satisfactory beginning, experience the inevitable let-down that comes when the life of meditation gets to be serious. What at first seemed easy and rewarding suddenly comes to be utterly impossible. The mind will not work. One cannot concentrate on anything. The imagination and the emotions wander away. Sometimes they run wild. At this point, perhaps, in the midst of a prayer that is dry, desolate and repugnant, unconscious fantasies may take over. These may be unpleasant and even frightening. More often, one’s inner life simply becomes a desert which lacks all interest whatever.”
Contemplative prayer
(Random House, 1968), p. 14



Noche de los sentidos
“Otro obstáculo —y quizá éste sea más común— es la inercia espiritual, la confusión interior, la frialdad, la falta de confianza. Éste puede ser el caso de los que, después de haber empezado de forma satisfactoria, experimentan el inevitable bajón que tiene lugar cuando la vivencia de la meditación empieza a ser más seria, más exigente. Lo que al principio parece fácil y gratificante, de repente se convierte en algo totalmente imposible. La mente deja de funcionar a su ritmo normal. Se experimenta una imposibilidad casi absoluta de concentración. La imaginación y las emociones viven su propio ritmo de enorme dispersión. Hasta se vuelven totalmente indómitas a los mandatos de nuestra voluntad. En esta situación, en medio de una oración, que es de gran sequedad, desolada y que nos repele, as fantasías inconscientes pueden dominar. Éstas pueden ser desagradables e incluso asustadoras. A menudo, la vida interior se convierte en puro desierto, carente de todo atractivo.”


La oración contemplativa
http://www.mercaba.org/Libros/Merton/La_oracion_contemplativa.htm 

24 julho 2017

Vós bebereis do meu cálice

“Ora, na vida em comunidade, todos os homens que Deus trouxe para o mosteiro, a fim de serem santificados pelo Seu Espírito, são postos juntos com suas várias enfermidades espirituais, sua impaciência, sua inconsideração, sua mesquinha vaidade, seu mau gênio talvez, e seu orgulho e todas as suas falhas das quais vivem tão largamente inconscientes São Bernardo vê em tudo isso uma importantíssima ocasião de progresso espiritual.”

(Itatiaia, 1957), pág. 56
_______________

You will drink from my cup
“Now, in the common life, all the men God has brought to the monastery to be sanctified by His Spirit are thrown together with their various spiritual infirmities, their impatience, their inconsiderateness, their petty vanity, their bad tempers perhaps, and their pride and all the failings of which they are so largely unconscious. St. Bernard sees in all this a tremendous occasion for spiritual growth.”
Waters of Siloe
(Harvest/HBJ Books, Kindle Edition, Houghton Mifflin Harcourt), posição 711-713

Beberéis de mi cáliz
“Ahora bien, en la vida comunitaria, todos los hombres que Dios trajo al monasterio para ser santificados por Su Espíritu están juntos y con sus varias enfermedades espirituales, su impaciencia, su inconsideración, su vanidad mezquina, tal vez su mal genio, así como su orgullo y todos los defectos de los cuales son en gran medida inconscientes. San Bernardo ve en todo ello una tremenda ocasión de crecimiento espiritual.”
Las Aguas de Siloé
Traducción SAFTM - Brasil

17 julho 2017

A diferença

“Há uma diferença entre amar os homens em Deus e amar a Deus nos homens. Os dois amores são a mesma coisa: São caridade, que tem Deus por objeto e que, nos dois atos, O atinge diretamente. Há, contudo, uma significativa diferença de ênfase, uma diferença de ‘foco’, que dá aos dois atos um caráter diverso. A vida em que nós amamos Deus nos homens é necessariamente uma vida ativa. Mas a contemplativa ama os homens em Deus.”
(Verus, 2003), pág. 150
_______________

The difference
“There is a difference between loving men in God and loving God in men. The two loves are the same: they are charity, which has God for its object and which, by either act, attains directly to Him. Yet there is a significant difference in emphasis, a difference of ‘focus’ that gives these two acts a different character. A life in which we love God in men is necessarily an active life. But the contemplative loves men in God.”

No man is an island
(Harvest Book, 1995), p. 193

La diferencia
“Hay una diferencia entre amar a los hombres en Dios y amar a Dios en los hombres. Ambos amores son la misma cosa: son caridad, que tiene a Dios por objeto y que, en los dos actos, Le alcanza directamente. Sin embargo, hay una significativa diferencia de énfasis, una diferencia de ‘foco’, que da a los dos actos carácter diverso. La vida en la cual amamos a Dios en los hombres es necesariamente vida activa. Pero la contemplativa ama a los hombres en Dios.”
Los hombres no son islas
Traducción - SAFTM Brasil

10 julho 2017

Sem objeções

“Esta tarde, durante cerca de uma hora e meia, suspendi tudo, esqueci tudo, e fiquei em companhia de Deus; primeiro fora e depois dentro da igreja. Todas as coisas que me têm preocupado desapareceram até a hora das Vésperas. Assim que comecei a cantar, voltaram. Mais uma vez me senti irritado com o coro, com o trabalho que estou fazendo e com todas as coisas em geral, e voltei ao velho refrão de me tornar eremita. As distrações me aniquilam desde o momento em que o sino toca chamando para o ofício, abrimos os livros e ficamos prontos à espera de começar. Contudo, se ficar pasmado ali no coro, em confusão, resultar na maior glória de Deus, não faço objeções.”

O Signo de Jonas
(Mérito, 1954), pág. 69

________________________

No objection
“For about an hour and a half this afternoon I just shut up and forgot everything and stayed with God, first outside the church and then inside it. All the things that had been bothering me vanished until Vespers. As soon as I started to sing, everything came back. I was once again irritated with the choir and with the work I am doing and with everything in general and went back to the old refrain about being a hermit. Distractions overwhelm me as soon as we open the books and stand there ready to sing. However, if it gives God glory for me to stand there in confusion, I have no objection.”
The sign of Jonas
 (Harvest Book, 1981), p.56

Sin objeciones
“Esta tarde, durante cerca de hora y media, lo suspendí todo, me olvidé de todo, y permanecí con Dios, primero fuera y luego dentro de la iglesia. Todas las cosas que me habían estado molestando desaparecieron hasta Vísperas. Apenas me puse a cantar, volvió todo. Una vez más, me sentí irritado con el coro, con el trabajo que estoy haciendo y con todo en general, y volví al viejo refrán de hacerme eremita. Las distracciones son abrumadoras desde el momento en el que suena la campana llamando al oficio, abrimos los libros y nos preparamos para cantar. Sin embargo, si quedarme yo allí turbado le da gloria a Dios, no tengo objeciones.”
El signo de Jonás
Traducción SAFTM - Brasil


03 julho 2017

Momentos de crise

“É demasiadamente fácil atravessar a vida com liberdade indolente e adormecida, que se assemelha a uma lâmpada sem óleo – uma lâmpada que não ilumina quando se precisa de luz.

Temos mais necessidade de ter a luz acesa em nosso espírito pelo Espírito de Jesus quando ouvimos o grito: ‘eis o Esposo’. E Ele vem, não só no fim dos tempos, na Parusia, mas também em momentos imprevisíveis em nossa vida particular – momentos de crise, quando somos providencialmente chamados a nos ultrapassar e a nos apressarmos rumo à plena realização de nosso destino pessoal.”

O Homem Novo
(Agir, 1966), pág. 173-174
_____________________

Moments of crisis
"It is all too easy to go through life with a supine and slumbering liberty that is like a lamp without oil –a lamp that does not give light when it is needed.
We most need the light enkindled in our spirit by the Spirit of God when the cry goes up “the Bridegroom comet.” And He comes not only at the end of time, at the Parousia, but also at unpredictable moments in our own individual lives –moments of crisis, when we are providentially summoned to surpass ourselves, and press onward to the fulfilment of our own personal destiny."
The New Man
(Burns & Oats, 1976, p.160)

Momentos de crisis
“Es demasiado fácil ir por la vida con una libertad indolente y adormilada, que es como una lámpara sin aceite –una lámpara que no alumbra cuando se necesita luz.
Cuando más necesitamos que el Espíritu de Jesús tenga encendida la luz en nuestro espíritu es cuando oímos el grito: ‘Ya viene el Esposo.’ Y Él viene, no solo en el fin de los tiempos, en la Parusia, sino también en momentos imprevisibles en nuestras vidas individuales –momentos de crisis, en los que somos providencialmente emplazados a superarnos y presionados para el cumplimiento de nuestro destino personal.”
El hombre nuevo 
Traducción SAFTM - Brasil

26 junho 2017

Pensamentos

"Nossa mente se assemelha aos corvos: apodera-se de tudo o que brilha e não se importa com o desconforto em nossos ninhos com todo aquele metal."
Fissus, 1999 - Pag. 107
________________________

Thoughts
Our minds are like crows. They pick up everything that glitters, no matter how
uncomfortable our nests get with all that metal in them.

New Seeds of Contemplation 
New Directions Books, 2007, p.104

Pensamientos
Nuestras mentes son como cuervos. Recogen todo cuanto brilla, sin tener en
cuenta lo incómodos que se hacen nuestros nidos con todo ese metal en ellos.

Nuevas semillas de contemplación  
E.D.H.A.S.A., p. 94 107

19 junho 2017

Numa noite escura

“Nossa tragédia consiste em que apesar de vermos claramente a futilidade do que desejamos, continuamos a desejá-lo só por causa do desejo. A paixão passa a ser o nosso prazer, e a razão seu instrumento. Sua função pervertida será, então, criar ídolos, isto é, ficções, a que podemos dedicar a adoração do amor e do ódio, a alegria e a angústia, a esperança e o terror.
Desse cativeiro não há libertação natural. A própria razão, capaz de livrar-se, passa de fato a devotar-se ao serviço da paixão, e isso é o pecado original. Só a fé e a graça, só a irrupção do sobrenatural em nossa vida pode fazer que a razão quebre as teias da paixão.”
(Itatiaia, 1999), pág. 43
_____________________
 
In a dark night
“Our tragedy consists in this: that although our reason may be capable of showing us clearly the futility of what we desire, we continue to desire it for the sake of the desire. Passion itself is our pleasure. Reason then becomes the instrument of passion. Its perverted function is to create idols –that is, fictions- to which we can dedicate the worship of love and hatred, joy and anguish, hope and fear.
From this servitude there is no natural deliverance. Reason itself, which has the power to free itself from passion, has in fact devoted itself in advance to the service of passion: and that is what we call original sin. It takes faith and grace, it takes the irruption into our life of the supernatural order, for the web of passion to be finally broken by our reason.”
Ascent to truth
(Harvest Book, San Diego, New York, London, 1981), p. 49

En una noche oscura
“Nuestra tragedia consiste en que aunque vemos claramente la futilidad de lo que deseamos, continuamos a desearlo por el mero deseo. La pasión es nuestro placer. La razón se torna el instrumento de la pasión. Su función pervertida es crear ídolos –o sea, ficciones- a los que podemos dedicar la adoración de amor y odio, alegría y angustia, a esperanza y miedo.
De este cautiverio no hay liberación natural. La misma razón, capaz de liberarse de la pasión, de hecho se dedicó de antemano al servicio de la pasión: ello es lo que llamamos pecado original. Son necesarias fe y gracia, es necesaria la irrupción en nuestra vida de lo sobrenatural para que la razón rompa la telaraña de la pasión.”
El ascenso a la verdad
Traducción – SAFTM - Brasil

12 junho 2017

Forças poderosas (parte 3 - final)

“Três coisas sobre o comunismo: 1º, suas técnicas são tremendamente eficazes, em certo sentido, Seu maquinismo é equipado para uma única função, uma única: apossar-se do poder. (...). A ideologia é tão flexível que pode mudar inteiramente da noite para o dia (...). Os Vermelhos têm o dom de fazer com que eles próprios acreditem no que querem.

O 2º fato sobre o comunismo: possui formidável ascendência sobre aqueles que de fato se dedicam a ele Há milhões que acreditam realmente no comunismo, que estão unidos atrás de seus chefes, por mais corruptos que sejam, e com a plena convicção de estarem certos e de tudo mais ser ilusão. (...)

Finalmente e mais importante: o comunismo voga a favor da corrente e já que estamos vivendo num tempo de mudanças caóticas, é muito mais fácil destruir do que sustentar aquilo que se mantém há séculos. Por conseguinte é bem mais fácil para o comunismo predizer vitórias e consegui-las pois são quase inteiramente destrutivas. Cada ‘vitória’ arrasta para o redil do comunismo novos milhões de pessoas desprotegidas que pouco ou nada têm a perder com a mudança, pois nada possuem em primeiro lugar. Não será coisa difícil angariar seus apoio entusiástico e instilar-lhes a convicção de que agora estão realmente ‘ganhando uma posição’.

Qual a posição do monge diante desta grande corrente destruidora?.”

(Itatiaia, 1962), pág. 41-43

05 junho 2017

Forças poderosas (parte 2)

“Atrás e para além da ação de forças criadas, humanas ou sobre-humanas, sabemos que a Suprema Sabedoria de Deus está trabalhando inexoravelmente, através desses agentes em luta uns contra os outros, para uma solução que transcende os interesses particulares de vários grupos ou porções da humanidade. O monge, oculto no Mistério de Cristo precisa ser de todos os homens o mais consciente da secreta ação da divina vontade. Com toda a certeza ele o será se for um homem de sacrifício, de coração puro, e um homem capaz de oração.”
(Itatiaia, 1962), pág. 41


_____________________

Powerful forces (part 2)
"Behind and beyond the workings of created forces, whether human or superhuman, we know that the Supreme Wisdom of God is working inexorably, through all these agents in combat with one another, for a solution that transcends the particularized interests of various groups and sections of the humankind. The monk, hidden in the Mystery of Christ, has to be, of all men, the most aware of the secret workings of the divine will. He will certainly be if he is a man of sacrifice, pure of heart, and a man capable of prayer."
The Monastic Journey
Translation – SAFTM - Brazil


Fuerzas poderosas (parte 2)
“Detrás y más allá de la acción de fuerzas creadas, humanas o sobrehumanas, sabemos que la Suprema Sabiduría de Dios está trabajando inexorablemente, a través de esos agentes en lucha unos contra otros, por una solución que trasciende los intereses particulares de varios grupos o sectores de la humanidad. El monje, oculto en el Misterio de Cristo, tiene que ser, de todos los hombres, el más consciente de la secreta acción de la voluntad divina. Seguramente lo será si es un hombre de sacrificio, de corazón puro y un hombre capaz de oración.”
El camino monástico
Traducción – SAFTM - Brasil

29 maio 2017

Forças poderosas (parte 1)

“A transformação por que passará o mundo não será apenas política. Na verdade é uma ilusão pensar que as forças que trabalham em nossa sociedade moderna são, sobretudo, políticas. Os grandes movimentos políticos atuais, tão complexos e tantas vezes aparentemente sem sentido, são a cortina de fumaça atrás da qual se desenrolam as manobras de uma guerra espiritual grande demais para ser travada pelos homens em qualquer plano humano. (...) Os políticos não passam de instrumentos de forças que eles próprios ignoram. São forças mais poderosas e mais espirituais do que o homem.”

Espiritualidade, contemplação e paz
(Itatiaia, 1962) pág. 41

___________________________________

Powerful forces (part 1)
“The transformation through which the world must pass will not be merely political. It is indeed an illusion to think that the forces that are at work in our modern society are, above all, political. The great political movements of our time, so complex and so often apparently so meaningless, are the smoke screen behind which are developing the evolutions of a spiritual war too great for men to wage by any human plan. (...)The politicians are only the instruments of forces that they themselves ignore. These forces are more powerful and more spiritual than man.”
The Monastic Journey
(ed. Sheed Andrews, 1977)

Fuerzas poderosas (parte 1)
“La transformación que vivirá el mundo no será únicamente política. En realidad, es una ilusión pensar que as fuerzas que actúan en nuestra sociedad moderna son antes que nada políticas. Los grandes movimientos políticos de hoy, tan complejos y a menudo aparentemente sin sentido, son la cortina de humo detrás de la cual se están desarrollando las maniobras de una guerra espiritual demasiado grande para que la libren los hombres en cualquier plano humano. (...)Los políticos no son más que instrumentos de fuerzas que ellos mismos ignoran. Se trata de fuerzas más poderosas y más espirituales que el hombre.”
Traducción SAFTM - Brasil