27 março 2017

Pega tua cama e anda

“O Deus vivo, o deus que é Deus e não a abstração de um filósofo, ultrapassa infinitamente tudo o que nossos olhos podem ver ou nosso espírito compreender.”

(Fissus, 1999), pág. 133

20 março 2017

Setenta vezes sete

“Deus deixou no mundo o pecado, para que fosse possível o perdão; não somente esse perdão secreto pelo qual Deus nos purifica a alma, mas também o perdão manifesto pelo qual exercemos uns com os outros a misericórdia, dando com isso expressão ao fato de que Deus vive, por sua misericórdia, nos nossos corações.”
(Agir, 6ªEd. 1976), pág. 176

__________________

Seventy times seven
God left sin in the world in order that there may be forgiveness; not only the secret forgiveness by which He Himself cleanses our souls, but the manifest forgiveness by which we have mercy on one another and so give expression to the fact that He is living, by His mercy, in our own hearts.
No man is an island
(ed. HarcourtBrace, Orlando, 1983, p. 229)

Siete veces siete
Dios ha dejado el pecado en el mundo a fin de que pueda haber perdón: no solamente el perdón secreto por el cual Él purifica nuestra alma, sino el perdón manifiesto por el cual tenemos misericordia unos de otros y manifestamos de esta manera que Él vive, por Su misericordia, en nuestro corazón.
Los hombres no son islas
(ed. Sudamericana, 1956)

13 março 2017

E quem se humilha, será exaltado

“Se não formos capazes de humildade, não teremos capacidade para a alegria, pois só a humildade consegue destruir o egocentrismo que torna a alegria impossível.”
(Fisus, 1999), pág. 180

__________________

And he that humbleth himself shall be exalted
If we are incapable of humility, we would be incapable of joy, because humility alone can destroy the self-centeredness that makes joy impossible.
New seeds of contemplation, ed.New Directions
Paperbook, 27ª ed., 1972, p.197.

Y el que se humilla será ensalzado

Si somos incapaces de ser humildes, no podremos vivir en la alegría, porque sólo la humildad es capaz de destruir el egocentrismo que impossibilita la alegría.
 Nuevas semillas de contemplación,
ed. Sal Terrae

06 março 2017

Quando orardes, não useis de muitas palavras

“A oração é inspirada por Deus nas profundezas do nosso nada. Ela é o movimento de confiança, gratidão, adoração, ou pesar, que nos coloca diante de Deus, vendo tanto a Ele como a nós mesmos à luz da sua verdade infinita, e nos move a pedir-Lhe a misericórdia, a força espiritual, o auxílio material de que todos precisamos.”
(Agir, 6ª Ed. 1976) pág. 56

__________________
In praying, do not keep on babbling
“Praying is inspired by God in the depth of our own nothingness. It is the movement of trust, of gratude, of adoration, or of sorrow that places us before God, seeing both Him and ourselves in the light of his infinite truth, and moves us to ask Him for the mercy, the spiritual strength, the material help that we all need.” 
No man is an island
ed. HarcourtBrace, Orlando, 1983
Cuando oréis, no multipliquéis las palabras

“La oración la inspira Dios en la profundidad de nuestra insignficancia. Es el movimiento
de la confianza, la gratitud, la adoración y el arrepentimiento que nos pone ante Dios, viéndole a Él y viéndonos a nosotros mismos a la luz de Su verdad infinita; es el impulso que nos mueve a pedirle misericordia, fortaleza espiritual, ayuda material que necesitamos.”
Los hombres no son islas
ed. Sudamericana, 1956

27 fevereiro 2017

Eis que deixei tudo e te segui

“No final da alameda, na sombra das árvores pude ver o arco sombrio do portão e as palavras Pax Intrantibus. (...) Pouco depois a chave girou na fechadura. Eu entrei. A porta se fechou silenciosamente atrás de mim. Eu estava fora do mundo.”
(Vozes, 2ªEd. 2010) pág. 290

__________________

Paz aos que entram
At the end of the avenue, in the shadows under the trees, I could make out the lowering arch of the gate, and the words: ‘Pax Intrantibus.’ (…) Presently the key turned in the door. I passed inside. The door closed quietly behind me. I was out of the world.
  The Seven Storey Mountain
Nova York, ed. Harcourt Brace, 1948


Al final de la avenida, en las sombras debajo de los árboles, puede descubrir el arco rebajado del portón y las palabras Pax Intrantibus. (…) En seguida giró la llave de la puerta. Pasé al interior. La puerta se cerró silenciosamente tras mí. Estaba fuera del mundo.
 La montaña de los siete círculos
Ed. Sudamericana, Buenos Aires, 6ª ed. 1998