29 julho 2014

Equilíbrio, ordem, ritmo e harmonia

“Não podemos ser felizes se pretendemos viver sempre no mais alto grau de intensidade. A felicidade não é questão de intensidade, mas de equilíbrio, de ordem, de ritmo e harmonia.
 
A música é boa não só pelos sons, mas também pelo silêncio que contém: sem a alternância de som e silêncio, não haveria ritmo. Se queremos ser felizes enchendo de ruído todos os silêncios da vida, ser produtivos convertendo todos os lazeres em trabalho e ser reais reduzindo todo nosso ser ao agir, não conseguiremos senão produzir um inferno na terra.”

Homem Algum é uma Ilha, Thomas Merton (Verus Editora, Campinas), 2003. p. 117

Um comentário:

EDILANDIO disse...

Eu concordo plenamente com Thomas. Eu estava lendo algumas belas linhas de Michael Adam, e achei muito interessante o que ele diz: "Talvez tentando até mesmo contribuir para a infelicidade. Talvez todo o ruído dos meus desejos mantivesse o estranho pássaro longe do meu ombro. Eu tentei por muito tempo e muito ruidosamente pela felicidade. Eu busquei longe em todas as direções. Eu sempre imaginei que a felicidade fosse uma ilha em um rio. Talvez seja o rio. Eu pensei que a felicidade fosse o nome de uma pousada no final da estrada. Talvez seja a estrada. Eu acreditava que a felicidade era sempre um amanhã e amanhã e amanhã. Talvez seja aqui. Talvez seja agora.E eu andei olhando em tudo quanto é lugar. Aquilo que todos buscam é a felicidade, algumas vezes chamada bem-aventurança; contudo, muitos dos que a têm procurado com tanto afinco continuam distantes da chave que leva à felicidade. Eu aprendi que a chave simples para a felicidade perfeita e para o seu inerente poder sustentador é autocontrole e autodisciplina. Isso é muito fácil de conseguir, quando o indivíduo aprendeu que ele é a única PRESENÇA e inteligência, controlando e dirigindo todas as coisas com equilíbrio, ordem, ritmo e harmonia. A felicidade é consequência e não objetivo!