06 abril 2015

Temperamento


"O temperamento não predestina um homem à santidade e outro à reprovação. Todos os temperamentos podem servir de material para a ruína ou a salvação. Temos de aprender a ver como nosso temperamento é um dom de Deus, um talento que devemos fazer valer até que Ele venha. Não importa até que ponto somos dotados de um temperamento difícil ou ingrato. Se fizermos bom uso do que temos, se disso nos utilizarmos para servir nossos bons desejos, podemos conseguir mais do que alguém que apenas serve seu temperamento em lugar de obriga-lo a servi-lo." 

Na liberdade da solidão, Thomas Merton (Editora Vozes), 7ª Ed. 2001, pág. 20

3 comentários:

Anônimo disse...

Sim, como São Paulo nos diz,dvemos subjugar o nosso corpo...assim,da mesma forma, devemos com a Graça e Misericórdi de Deus,subjugar nosso temperamento,nossos desejos,pois vivemos para Cristo;e Ele é nosso maior exemplo em escravizar a matéria.Talvez não encontre palavras sábias e profundas para dizer que temos,obrigatoriamente ser semelhantes a Jesus,custe-nos o que custar e isto é Amor que vem do Alto e é derramado em profusão dentro de nossas almas, nos capacitando, pois somos incapazes...

Myriam de Jesus disse...

Que tudo o que recebemos do Senhor seja para glorificá-Lo !

Washington Oliveira disse...

O dom do livre arbítrio!