06 março 2006

Nas profundezas do coração

“ Que ninguém espere encontrar na contemplação uma fuga ao conflito, à angústia ou à dúvida. Ao contrário, a certeza profunda, inexprimível, da experiência contemplativa desperta uma trágica angústia e suscita muitas perguntas nas profundezas do coração, como feridas que não cessam de sangrar. A cada avanço na certeza profunda corresponde um aumento de ‘dúvida’ superficial. Essa dúvida não é oposta, de modo algum, à fé autêntica, mas examina sem concessões e questiona a ‘fé’ espúria do cotidiano, a fé humana que não é senão a aceitação passiva da opinião convencional.”

New Seeds of Contemplation, de Thomas Merton
(New Directions, New York), 1972. p. 12
No Brasil: Novas Sementes de Contemplação, (Editora Fissus, Rio de Janeiro), 2001. p. 20
Reflexão da semana de 6-03-2006

3 comentários:

Anônimo disse...

Anônima SF
Em resumo, THOMAS MERTON destaca como válida a CONTEMPLAÇÃO DAS PERCEPÇÕES, a CONTEMPLAÇÃO DO CORAÇÃO, a CONTEMPLAÇÃO DA CERTEZA e a CONTEMPLAÇÃO DA FÉ AUTÊNTICA, diante da DIMENSÃO DIVINA, DO SER, DA HUMANIDADE e do UNIVERSO, como podemos ler e refletir em seus outros textos.
Sua escritura tem a profundidade mística do convite à essa experiência de Deus, mostrando-nos, contudo, as nossas tendências para as fugas e limitações que exibimos nesse trajeto do dia-a-dia...
Anônima SF

O Velho da Montanha disse...

+
pax!

Minha vontade era de escrever aqui um "sem comentário" apenas. Claro! o que se podeia acrescentar depois de tão clarevidente exposição? Eu devo ter passado direto, sem ter notado quão significativo é esse trecho, quando li as "Novas sementes"; Pois bem, uma grande salva de palmas para aquele que selecionou esse trecho e publicou (mera coincidência com o comercial da Coca cola ligth!).
Falando serio, tenho comigo que essa tal "trágica angustia" que acompanha a expêriencia contemplativa deva ter um sabor todo especial, sabor que a "letra" nao consegue descrever, e que nem precisa, pois tem que ser experimentada individualmente, deve ser apreciada na intimidade de cada um. O que acho interessante em Merton é a sensibilidade com que escreve tais "sabores", nota-se que ele nao procura "engaiolar" tais "insigths" em sua palavras, pelo contrario, se vê que é fruto duma experiêcia pessoal.
Ei, e voce que esta lendo esse comentario, concorda ou discorda? falei alguma asneira? Vamos interagir?

Um grande abraço,

Cristovao Junior
www.merton.cjb.net

Oswaldo Viana Jr disse...

É incrível como certos trechos do Merton (como esse) nos tocam de maneira toda especial, de acordo com o momento em que estamos. Isso aconteceu comigo bem recentemente, quando reli o texto que eu coloquei no meu próprio blog, tirado do livro "A Vida Silenciosa". E foi uma descoberta dolorosa, desta segunda vez.
Veja aqui:

http://tesourosespirituais.blogspot.com/2005/08/atire-primeira-pedra.html