09 abril 2007

Partilhando da vitória de Cristo

“ Não é a observância obrigatória que nos preserva do pecado, mas algo de muito maior: é o amor. E esse amor não é algo que desenvolvamos apenas com nossas próprias forças. É um dom sublime da misericórdia divina, e o fato de que vivemos na consciência dessa misericórdia e desse dom é a maior fonte de crescimento para o nosso amor e nossa santificação.

Esse dom, essa misericórdia, esse amor ilimitado de Deus por nós, foi derramado sobre nós como resultado da vitória de Cristo. Saborear esse amor é partilhar de sua vitória. Ter consciência de nossa liberdade, exultar em nossa liberação da morte, do pecado, da Lei, é cantar o aleluia que glorifica realmente a Deus neste mundo e no mundo que há de vir.”

Seasons of Celebration, de Thomas Merton
(Farrar, Straus and Giroux, New York), 1965. p. 156-157
No Brasil: Tempo e Liturgia, (Editora Vozes, Petrópolis), 1968. p. 159
Reflexão da semana de 09-04-2007

Um pensamento para reflexão: “Cada dia é uma nova aurora daquele lumen Christi, a luz de Cristo que não conhece ocaso.”
Tempo e liturgia, Thomas Merton

Um comentário:

Alcindo disse...

Uma grande amizade


Somente o calor de uma grande amizade é capaz de quebrar o gelo da indiferença e do egoísmo. A amizade é um dos mais belos itens da nossa vida. Vivemos num mundo onde várias questões da vida são questionadas, mas a amizade não. Já dizia Anselm Grün que a amizade não é uma instituição, ela é uma relação voluntária, em que cada um escolhe a seu gosto e bel prazer (GRÜN, Eu lhe desejo um amigo. 2006, p.8).
Sabemos claramente que a amizade necessita de tempo, calma e muita sensibilidade para se desenvolver. Ninguém constrói uma amizade sem investir tempo. Ninguém começa a ter confiança numa pessoa sem conhecimento e convivência mútua. Não é por acaso que Platão afirmou de maneira profunda: “Deus faz os amigos; Deus traz os amigos para os amigos. Na amizade cintila um pouco do mistério de Deus” (GRÜN, Eu lhe desejo um amigo. 2006, p. 14).
Precisamos entender que não podemos fabricar os amigos, eles são um grande presente de Deus para o nosso coração a fim de termos direção e foco na vida. Os amigos que Deus coloca em nossa vida são os instrumentos para que voltemos para o foco que é Deus.
Anselm Grün citando Túlio Cícero diz que a amizade é como o sol que ilumina a vida dos seres humanos. A amizade ilumina o nosso ser para que vivamos na presença de Deus de maneira sadia. A amizade de um amigo nos fortalece e nos ajuda enfrentar os conflitos mais profundos da nossa alma.
A amizade é para o sofrimento, para a alegria, para o tempo de dor e de prazer. A amizade é para nos identificar como seres humanos criados a imagem de Deus. A amizade é para desfrutarmos da alegria de viver. Como disse Agostinho: “Sem amigos nada é agradável na vida”.
Nesta semana celebramos o dia da amizade, então, que através das amizades descubramos mais sobre o significado do amor de Deus por nós por meio do seu próprio Filho: Jesus Cristo.
Alcindo Almeida
Pastor na Igreja Presbiteriana de Pirituba