20 novembro 2006

Disciplina e consciência crítica

“ O propósito da disciplina é, no entanto, dar-nos uma consciência crítica em relação às limitações da própria linguagem da vida espiritual e das idéias sobre essa vida. Em nível elementar, a disciplina nos torna críticos quanto aos falsos valores da vida social (por exemplo, faz-nos perceber experimentalmente que a felicidade não está nos costumeiros rituais de consumo de uma sociedade afluente). Em um nível mais elevado, revela-nos as limitações das idéias espirituais formalistas e toscas. A disciplina desenvolve nossa visão crítica e nos mostra como é inadequado o que antes aceitávamos como válido em nossa vida religiosa e espiritual. Permite que abandonemos e descartemos, por serem irrelevantes, certos tipos de experiência que, no passado, tinham grande significado para nós. Faz-nos ver aquilo que antes servia de verdadeira ‘inspiração’ agora como rotina gasta, que devemos ultrapassar em busca de outra coisa. A disciplina nos dá coragem para enfrentar o risco e a angústia da ruptura com nosso nível anterior de experiência. Ela nos permite, na linguagem de São João da Cruz, enfrentar a Noite Escura com plena consciência da necessidade de sermos despojados do que antes nos gratificava e ajudava.”

Contemplation in a World of Action, de Thomas Merton
(Garden City, NY: Doubleday), 1971. p.128-129

No Brasil: Contemplação num Mundo de Ação (Ed. Vozes, Petrópolis), 1975, p. 116
Reflexão da semana de 20-11-2006


O pensamento da semana: “A necessidade de disciplina é a mesma necessidade de vigilância, de prontidão e de disponibilidade desta parábola do Evangelho de São Mateus (25,6): ‘Aqueles que se mantêm na espera do Senhor precisam estar com suas lâmpadas acesas e bem preparadas.’ (...) [Disciplina monástica] implica cultivar certas condições interiores de consciência, de abertura, de prontidão para o novo e o inesperado.”
Contemplação num mundo de ação, Thomas Merton

3 comentários:

Anônimo disse...

estava precisando ler algo como isto, explicou muita coisa que não se encaixava.

Maria disse...

avançando na espiritualidade,um certo devocionismo,um certo culto do sensível aparente vai-se atenuando para dar lugar a esse silêncio habitado...mas não é fácil

Dom Leão,OSB disse...

A disciplina é um aprendizado diário, no qual nos coloca diante de nós mesmos, de nossas capacidades, fazendo uma ruptura com o descartável e o necessário. A disciplina pode ser levada em conta na vida consagrada, no mosteiro, como também na vida familiar, fazendo valer a lei do diálogo e da humildade.

Dom Leão,OSB
Prior do Mosteiro de São Bento de São Luís

São Luís, 01 de Abril de 2012 Domingo de Ramos